Últimas Notícias - Ver todas as notícias

Sobre a ANS

Publicado em: 28/07/2016

ANS divulga resultados da implementação da RN nº 388, de 2015

Diretoria de Fiscalização apresenta os impactos da medida

Números do Setor

Publicado em: 27/07/2016

Dados da saúde suplementar

ANS divulga números e indicadores referentes ao segundo trimestre de 2016

Números do Setor

Publicado em: 25/07/2016

Publicação traz média de preços dos planos de saúde

Painel de Precificação traça um panorama de valores cobrados no mercado de saúde suplementar  

Sobre a ANS

Publicado em: 25/07/2016

Reunião da Diretoria Colegiada

Pauta e arquivos da reunião de hoje (25/07) estão disponíveis para consulta

Agenda Regulatória


A Agenda Regulatória é um instrumento de planejamento que agrega o conjunto de temas estratégicos e prioritários, necessários para o equilíbrio do setor, que são objeto de atuação da ANS em determinado período.

A quem se aplica o reajuste*

O limite de reajuste anual vale para os contratos de cerca de 8 milhões de beneficiários de planos individuais ou familiares novos ou àqueles que foram adaptados à lei dos planos de saúde. Esse número corresponde a 17,6% dos planos de assistência médica no Brasil. É importante deixar claro que a ANS não determina o percentual que deve ser aplicado aos planos individuais. A Agência define o limite máximo e as operadoras podem aplicar qualquer percentual até esse teto.


Clique aqui para copiar o arquivo para seu computador .

 

 

Metodologia de cálculo*

O percentual de reajuste dos planos individuais é a média dos reajustes aplicados pelas operadoras aos planos coletivos com mais de 30 beneficiários. Esta metodologia existe desde 2001 e permite que os planos individuais se beneficiem das negociações já feitas entre os contratantes de planos coletivos e as operadoras de planos de saúde.


Clique aqui para copiar o arquivo para seu computador .

 

 

Percentual de reajuste e rendimento mensal dos trabalhadores*

O índice de reajuste máximo dos planos de saúde individuais não deve ser comparado a outros índices de preços ou de inflação. É que essas taxas medem a variação de preços de vários setores, como alimentação, habitação, transporte e educação. No caso dos planos de saúde, leva-se em conta a frequência de uso dos serviços, como consultas e exames, novas tecnologias disponíveis nos planos e a variação dos custos da saúde. Mas se compararmos a variação do rendimento mensal na seis regiões metropolitanas do Brasil com o índice de reajuste dos planos de saúde, constatamos que o rendimento mensal vem crescendo acima dos índices divulgados pela ANS.


Clique aqui para copiar o arquivo para seu computador .

 

 

* O conteúdo pode ser totalmente ou parcialmente reproduzido pela imprensa.

 

Siga-nos nas redes sociais

ANS no Twitter
ANS no YouTube
ANS no Facebook
RSS

 

Acesso à Informação
GovernoFederal

ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar - Av. Augusto Severo, 84 - Glória Rio de Janeiro/RJ - CEP: 20021-040