topo
Início da Busca
Campo de busca
Fim da Busca
Início do contéudo da página

Alfredo Cardoso falou sobre como mitigar os riscos de um plano de saúde

Nos dias 17 e 18 de novembro, em São Paulo, a União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde (Unidas) promoveu o 7º Congresso de Gestão de Assistência à Saúde, evento destinado à discussão de alguns do principais temas do mercado de planos de saúde. O diretor de Normas e Habilitação de Operadoras da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Alfredo Cardoso, participou do painel  "Como mitigar os riscos de um plano de saúde. Melhor forma de definir cobertura-preço-rede", juntamente com o presidente da Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge), Arlindo de Almeida, e a gerente do Núcleo de Atenção à Saúde da Federação das Unimeds do Estado de São Paulo, Maria Elisa Gonzalez Manso.

"Para a ANS, não há duvida de que mitigar riscos é constituir garantias", afirmou Alfredo Cardoso enquanto falava sobre as garantias financeiras previstas na regulamentação da ANS. No entanto, segundo ele, a função econômica de uma operadora de planos de saúde é assumir riscos que um individuo ou empresa não esteja apto a assumir. A grande questão é como gerenciar e mitigar esses riscos.

Alfredo Cardoso apresentou casos internacionais de sucesso, que obtiveram êxito com a integração do cuidado e o foco na saúde. "É preciso focar a saúde e não mais a doença. O risco assistencial pode ser sustentável se as operadoras agregarem valor ao cuidado, e insustentável se as operadoras focarem apenas em fluxo de caixa de curto prazo", enfatizou.

Durante o painel, o presidente da Abramge, Arlindo de Almeida, apresentou algumas tendências percebidas no mercado, tais como a abertura de capitais, o aumento do número de planos comercializados junto à classe C, verticalização, entre outras. Almeida falou também sobre a busca por um novo modelo assistencial de prevenção e qualidade de vida e sobre a importância do Padrão de Troca de Informações em Saúde Suplementar (TISS) e do Programa de Qualificação da Saúde Suplementar. "Acredito que o TISS foi uma das melhores resoluções da ANS", elogiou o presidente da Abramge, Arlindo Almeida.

Em sua palestra, a gerente do Núcleo de Atenção à Saúde da Federação das Unimeds do Estado de São Paulo, Maria Elisa Gonzalez Manso, apontou a falta de eficiência dos custos como um problema crônico do setor, que segundo ela, gasta muito sem necessidade. "Hoje, não trabalhamos com o cliente como uma pessoa saudável, esperamos ele adoecer. É preciso enfatizar ações de promoção e prevenção de doenças. Ações desse tipo são uma linha no tempo, o retorno delas demora", argumentou Maria Elisa.

20081124congnacunidas 
O Diretor de Normas e Operações das Operadoras, Alfredo Cardoso

Compartilhe:

 
Fim do contéudo da página
Início do rodapé
ANS no Twitter
ANS no YouTube
ANS no Facebook
ANS no Likedin
RSS
Acesso à Informação
Marca do Governo Federal
Fim do rodapé

ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar - Av. Augusto Severo, 84 - Glória Rio de Janeiro/RJ - CEP: 20021-040

Ir para o topo da página