topo
Início da Busca
Campo de busca
Fim da Busca
Início do contéudo da página

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), por intermédio da Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos (DIPRO), deu continuidade nos dias 07 e 08/01, às reuniões de análise das propostas de atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde (ciclo 2019-2020). Este é o primeiro ciclo de reuniões com a nova metodologia de atualização do Rol, cujas regras estão estabelecidas na Resolução Normativa Nº 439/2018.

Nos encontros, estão sendo avaliadas as sugestões de tecnologias em saúde submetidas no processo de atualização do Rol e consideradas elegíveis. Participaram das atividades os membros da Câmara de Saúde Suplementar (CAMSS), os autores das propostas elegíveis e representantes de entidades representativas do setor. Ao todo foram avaliadas 14 sugestões que levaram em conta a viabilidade econômica, vantagens e fragilidades, além das formas de execução dos projetos.

Veja abaixo as tecnologias em saúde analisadas e as indicações de uso:

Dia 07/01
1. Citrato de Ixazomibe.  Em combinação com lenalidomida e dexametasona, para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo que receberam pelo menos um tratamento anterior.
2. Lenalidomida – Mieloma - IND1.  Em combinação com dexametasona, é indicado para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo refratário/recidivado que receberam ao menos um esquema prévio de tratamento.
3. Lenalidomida – Mieloma - IND2.  Em monoterapia é indicado para o tratamento de manutenção de pacientes com mieloma múltiplo recém-diagnosticado que foram submetidos a transplante autólogo de células-tronco.
4. Lenalidomida – Mieloma - IND3.  Em terapia combinada, é indicado para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo que não receberam tratamento prévio e não são elegíveis a transplante.
5. Lenalidomida. Tratamento de pacientes com anemia dependente de transfusões decorrente de síndrome mielodisplásica de risco baixo ou intermediário-1, associada à anormalidade citogenética de deleção 5q, com ou sem anormalidades citogenéticas adicionais.
6. Acalabrutinibe. Tratamento de pacientes adultos com Linfoma de Células do Manto recorrente ou refratário, que tenham recebido ao menos uma terapia prévia.
7. Ibrutinibe. Tratamento do linfoma de células do manto em pacientes que receberam no mínimo, um tratamento anterior contendo rituximabe.
 
Dia 08/01
1. Ibrutinibe – LLC - IND1.  Tratamento de leucemia linfocítica crônica (LLC) em pacientes refratários e/ou recaídos.
2. Ibrutinibe – LLC - IND2. Tratamento de pacientes de leucemia linfocítica crônica (LLC) em 1ª linha.
3. Venetoclax.  Em combinação com rituximabe para o tratamento da leucemia linfocítica crônica em pacientes que tenham recebido pelo menos uma terapia prévia.
4. Venetoclax. Em combinação com um agente hipometilante, ou em combinação com citarabina em baixa dose para pacientes recém-diagnosticados com LMA - Leucemia Mieloide Aguda e que são inelegíveis para quimioterapia intensiva.
5. Midostaurina. Tratamento de LMA - Leucemia Mieloide Aguda recém diagnosticada com mutação de FLT3.
6. Nilotinibe. Tratamento de pacientes com LMC - Leucemia Mieloide Crônica (LMC) na fase crônica recém diagnosticados, com escore Sokal de alto risco.
7. Ruxolitinibe. Policitemia vera que são intolerantes ou resistentes ao tratamento com hidroxiureia, ou à terapia citorredutora de primeira linha.
 
As próximas reuniões estão agendadas para os dias 21 e 22 de janeiro de 2020, na sede da ANS, na cidade do Rio de Janeiro. Confira aqui o cronograma das próximas reuniões.

rol

No encontro, foram avaliadas tecnologias em saúde para tratamento de doenças hematológicas


Compartilhe:

 
Fim do contéudo da página
Início do rodapé
ANS no Twitter
ANS no YouTube
ANS no Facebook
ANS no Likedin
RSS
Acesso à Informação
Marca do Governo Federal
Fim do rodapé

ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar - Av. Augusto Severo, 84 - Glória Rio de Janeiro/RJ - CEP: 20021-040

Ir para o topo da página